"Mutilação genital feminina pode acabar"

A fundadora da ONG Safe Hands for Girls recebeu, na última sexta-feira, em Lisboa, ao lado  Presidente de Portugal Marcelo  Rebelo de Sousa, do eurodeputado francês e ex-presidente da Câmara de Grande-Synthe, Damien Carême, o prémio Norte-Sul do Conselho da Europa. As jovens como eu não chegam aqui. Lêem sobre nós. Mas não nos conhecem", começa por explicar Jaha Dukureh.

Voz forte e segura, a fundadora da ONG Safe Hands for Girls nasceu na Gâmbia, em 1989, sobreviveu à mutilação genital feminina e foi forçada a casar aos 15 anos.
Na manhã de 13 de Setembro, recebeu em Lisboa, das mãos do Presidente Marcelo Rebelo de Sousa, o prémio Norte-Sul do Conselho da Europa, ao lado de Damien Carême, eurodeputado francês e presidente da Câmara durante 18 anos da cidade de Grande-Synthe, onde implementou a ecologia social e se destacou no acolhimento de refugiados.
De frente para o hemiciclo do Parlamento português, Dukureh explica como a certa altura percebeu que só podia evitar que outras meninas passassem pelo mesmo que ela se erguesse a sua voz.
"Percebi que só podia fazer algo contra isso falando sobre isso. Há milhões de outras jovens como eu. Sentimo-nos tristes ao ouvir as suas histórias. Mas o que fazemos? Por isso, decidi dar uma voz e um rosto a estas jovens", explica diante de uma plateia emocionada.
E garante que tanto a mutilação genital feminina como os casamentos infantis forçados são "práticas que podem terminar. A escravatura também era uma tradição e acabou. Podemos acabar com a mutilação genital feminina".
Lembrando os milhares de meninas que não tiveram a sua sorte - "eu sobrevivi e estou aqui. Mas milhares morreram. Milhares foram forçadas a casar e morreram a dar à luz" -, Dukureh garante que, quando entra em salas como esta, "não entro como Jaha Dukureh. Entro para representar milhares de meninas forçadas a casar e mutiladas".
E sublinha: "Ao casar uma menina, estamos a permitir que seja violada vezes e vezes sem conta". Uma frase forte que foi recebida com aplausos da sala.

FONTE/JA

Categoria:Nacional