Augusto Tomás ordenou CNC a pagar despesas do Ministério dos Transporte

O ex-director do Conselho Nacional de Carregadores (CNC), Manuel António Paulo, afirmou hoje, em tribunal, que Augusto da Silva Tomás ordenou, algumas vezes, a instituição a pagar despesas do Ministério dos Transporte.


Manuel Paulo fez essa afirmação na qualidade de réu, quando respondia a perguntas de Ana Paula Godinho, uma das mandatárias judiciais de Augusto Tomás, na 12ª audiência do julgamento do caso que decorre na Câmara Criminal do Tribunal Supremo, em que o ex-ministro do Transportes e quatro ex-gestores do CNC são acusados de se terem apropriado de fundos desta instituição.


Professor catedrático da Faculdade de Economia da Universidade Agostinho Neto, Manuel Paulo esclareceu que fazia-se esse procedimento quando o Ministério das Finanças não cabimentava as receitas para o sector dos Transportes. O réu não pôde dizer com precisão quantas vezes Augusto Tomás baixou tais orientações, mas assegurou que foram "poucas vezes".


Manuel Paulo afirmou ainda que, a partir do momento em que se deu a crise económica e financeira (entre 2014 e 2015), o orçamento do Ministério dos Transportes deixou de ser exequível, porque, apesar de existir uma previsão, o Ministério das Finanças não cabimentava as verbas, dificultando assim a normal gestão daquele departamento do Executivo.

FONTE/JA

Categoria:Nacional