Palancas Negras sem dinheiro para o CAN´2019

A Selecção Nacional de futebol está sem verbas para participar no CAN´2019 que começa no dia 21 do corrente, no Egipto, por estar dependente dos valores cabimentados pelo Orçamento Geral do Estado, ainda sem data para a sua alocação, avançou Angop.


Segundo o presidente da Federação Angolana da modalidade, Artur Silva, que falava sábado à Rádio 5, em Luanda, o combinado nacional estagia em Portugal com valores emprestados dada a necessidade de uma preparação condigna.

Artur Silva explicou que os patrocinadores da FAF (citou a UNITEL) comunicaram desistência pelo que o recurso tem sido o empréstimo, anunciando a necessidade de 600/700 milhões de kwanzas para o CAN e Campeonato do Mundo de Sub-17, em Outubro próximo, no Brasil. O dirigente desportivo acha que se devia fazer um esforço para proporcionar ao conjunto maior conforto, tratando-se de algo anormal as dificuldades existentes, por o orçamento da instituição ter sido entregue ao ministério de tutela em tempo útil. A ministra da Juventude e Desportos, Ana Neto, afirmou que o normal seria a Federação explicar porque fez deslocar a selecção para Portugal sem estarem oficialmente criadas todas as condições financeiras.

Ana Neto recordou que o país está em dificuldade económica pelo que as federações têm sido esclarecidas sobre a não execução, ainda, do Orçamento Geral do Estado para 2019, aconselhando por isso o recurso a patrocinadores até que a situação se regularize. A governante reconheceu o valor social do futebol, mas argumentou que o país tem, também, prioridades no domínio da saúde, da educação, além de casos muito urgentes como o da seca.

“A programação está feita. O CAN é importante e vamos aguardar mais um pouco porque temos de estar lá (no Egipto) dia 21 para competirmos”, disse a antiga andebolista da selecção nacional. Na prova Angola está no grupo E ao lado da Tunísia, Mauritânia e Mali.

FONTE/ANGOP

Categoria:Desporto