Reformas de João Lourenço agradam os EUA - diplomata americano

Os Estados Unidos da América (EUA) reafirmaram nesta terça-feira estar positivamente surpreendidos com as reformas e o combate à corrupção encetados pelo Presidente da República de Angola, João Lourenço.


Segundo o secretário de Estado assistente americano para os Assuntos Africanos, Tibor Nagy, numa teleconferência, a partir de Kigali, capital do Ruanda, "os EUA e o mundo, em geral, ficaram surpreendidos com as acções do Presidente João Lourenço no combate à corrupção, apesar de ter ainda muito a fazer".


A teleconferência seguida a partir da embaixada dos Estados Unidos, em Luanda, foi convocada para anunciar a visita do secretário de Estado adjunto, John Sullivan, a Angola, de 17 a 18 do corrente mês, proveniente da África do Sul, para avaliar a cooperação bilateral e manter contactos com organizações ligadas aos direitos humanos.


Declarou que o secretário de Estado Adjunto vai conversar com o Presidente João Lourenço questões ligadas à segurança, o “acordo sobre diálogo estratégico” e questões ambientais, visando fortalecer o relacionamento com Angola, que no geral, “é muito positivo”.


Tibor Nagy considerou satisfatória a parceria com Angola e reafirmou o interesse em ajudar a melhorar a confiança dos investidores, bem como aumentar os níveis de comércio e de investimento no solo angolano.


Considerou prematura e “incorrecta” qualquer abordagem sobre os bancos correspondentes, no que diz respeito a facilidade na aquisição da moeda americana, o dólar, por não haver ainda qualquer decisão sobre a matéria.


Relativamente ao comércio com Angola, os EUA consideram que as exportações de alumínio e aço ameaçam a segurança nacional americana, sem avançar pormenores.


Disse que os EUA consideram que a governação do Presidente Maduro, na Venezuela, é desapontante e pode ser considerada um crime contra o seu povo, apesar de países como a África do Sul terem votado contra a posição americana.


Sobre a extradição do antigo ministro das finanças moçambicano detido na África do Sul, espera que as duas partes honrem o tratado entre os dois países.


Referiu que os EUA apoiam a abertura do espaço político na Etiópia e apoia as negociações com os partidos da oposição visando a consolidação da democracia no país.


FONTE /  ANGOP

Categoria:Internacional

Deixe seu Comentário