Rússia também suspende participação em tratado de desarmamento nuclear

A Rússia suspendeu a sua participação no tratado de desarmamento nuclear INF em resposta à retirada dos Estados Unidos, anunciou neste sábado o presidente Vladimir Putin.

“Vamos dar uma resposta simétrica (aos EUA). Os nossos parceiros americanos anunciaram que suspenderam a sua participação no tratado; então nós também o iremos fazer”, disse Putin em reunião com os ministros das Relações Exteriores, Sergei Lavrov, e da Defesa, Sergei Shoigu.

O presidente russo afirmou que os EUA estão há anos a ignorar as iniciativas da Rússia sobre o desarmamento e “o tempo todo procuram pretextos para desmontar o sistema de segurança existente”.

Além disso, pediu a Lavrov e Shoigu que não iniciem novas negociações a respeito com os EUA até que “amadureçam para ter um diálogo consistente e em igualdade de condições” sobre um assunto que é “muito importante tanto para nós quanto para os nossos parceiros e o resto do mundo”.

Ao mesmo tempo, Putin desmentiu que a Rússia tenha a intenção de participar numa nova corrida armamentista com Washington.

“Não devemos nem vamos nos deixar envolver numa corrida armamentista dispendiosa”, afirmou.

Por sua vez, Lavrov disse que Moscovo “tentou fazer tudo o que era possível para salvar o tratado (INF), levando em conta o seu significado para a segurança estratégica na Europa e no mundo”.

Já Shoigu afirmou que os EUA “estão há anos a infringir o tratado” de desarmamento pactuado durante a Guerra Fria e propôs começar a desenvolver na Rússia um míssil hipersónico terrestre de médio alcance, iniciativa que já recebeu sinal verde do Kremlin.

Os EUA deram de prazo à Rússia até 2 de fevereiro para cumprir de maneira “verificável” o INF, ultimato que foi rejeitado pelas autoridades russas, que acusaram Washington de aumentar o risco de uma guerra nuclear no mundo ao abandonar tratados de desarmamento fundamentais para a segurança internacional.

Categoria:Internacional

Deixe seu Comentário