Tyipinge retoma seu lugar no parlamento e nega ter sido ouvido na PGR

O ex-governador da Huíla retomou ontem o seu assento na Assembleia Nacional, após ter cessado a função de governador que motivou a suspensão do seu mandato por incompatibilidade. Em declarações no final da reunião plenária, Marcelino Tyipinge desmentiu que tivesse sido ouvido pela PGR, segundo informações postas a circular pela imprensa. Recentemente, circularam informações que davam conta de que o ex-governador da Huíla tivesse sido ouvido pela Direcção Nacional de Investigação e Acção Penal(DNIAP) da Procuradoria Geral da República, sob acusação de peculato.

Governação

Falando à imprensa, o deputado disse estar satisfeito com o estado em que deixou a província, enquanto governador provincial, bem como primeiro secretário do partido que sustenta o Governo. “A Huíla liderada por mim já ganhou quatro vezes consecutivas as eleições, significa que há uma aceitação muito grande da nossa governação e da nossa presença nesta província”, afirmou. Tyipinge considera as acusações contra si como sendo uma intenção deliberada, por parte de “determinadas pessoas” que pretendem prejudicar a sua boa imagem. O ex-governador negou ter recebido algum benefício “impróprio” durante o seu mandato na província da Huíla. “Pode-se pensar que ser governador é para ser rico, não é isso. Nós estamos lá para servir o povo e como servimos correctamente”, afirmou.

Enquanto servidor público, Marcelino Tyipinge informou que nunca abandonou o seu povo e que sempre esteve consigo mesmo nos momentos difíceis. “Eu nasci lá. Sofri lá. O meu povo sofreu comigo. Eu conheço as dificuldades daquele povo”, disse Tyipinge, salientando que conduziu a província de forma transparente, e considera a sua exoneração como um acto normal do Chefe do Executivo. De acordo com uma fonte de OPAÍS, conforme noticiado na edição 1250, Marcelino Tyipinge terá beneficiado de comissões nos pagamentos destinados aos professores e na aquisição de mais de 10 laboratórios escolares para a província da Huíla. A mesma fonte referiu que o ex-governante foi interrogado a 28 de Setembro pela DNIAP.

C/ OPAIS

Categoria:Nacional

Deixe seu Comentário