Greve dos enfermeiros em Luanda é para manter

O Sindicato dos Técnicos de Enfermagem de Luanda orientou, os enfermeiros dos hospitais públicos da capital do país a paralisarem os trabalhos, no quadro da greve geral convocada a 31 de Maio último.

Segundo o secretário do sindicato, António Kileba, a greve está a ser observada em todas as unidades hospitalares de âmbito provincial. Ficam excluídos os hospitais de âmbito nacional, tais como Américo Boavida, Josina Machel, Sanatório de Luanda e Neves Bendinha.

“Há greve sim. Esta greve é em função das reivindicações que nós temos vindo a fazer, desde 2012, na qual houve conclusões que a entidade empregadora até à data presente não consegue cumprir”, frisou.

Apesar da decisão, decorreu nesta segunda-feira um encontro entre o sindicato, a Direcção Provincial da Saúde e o Governo Provincial de Luanda, para avaliar os pontos constantes do Caderno Reivindicativo apresentado ao órgão competente em 2012.

Numa ronda, a Angop constatou que até às 16H00 de segunda-feira, alguns hospitais provinciais como a Maternidade Augusto Ngangula, Neves Bendinha (Vulgo Hospital dos Queimados) os enfermeiros estão a trabalhar plenamente, contrariamente ao Centro de Saúde do Rangel, onde se observa a greve com um piquete para casos graves.

Fonte: ANGOP

Categoria:Nacional

Deixe seu Comentário