Professores da Escola Portuguesa de Luanda desconvocam greve

O segundo período de greve que estaca convocado pelos professores da Escola Portuguesa de Luanda (EPL) foi anulado devido a um entendimento com a cooperativa que gere a escola que prevê actualizações salariais sem aumento das propinas pagas pelos alunos. 

Numa nota divulgada pela direcção da EPL é explicado que a greve que estava prevista entre amanhã e quarta-feira fica sem efeito devido ao entendimento com os professores que exigiam actualizações salariais para compensar a desvalorização de 33 por cento que a moeda nacional já observou desde o início do ano. 

No entanto, a cooperativa pretendia satisfazer a exigência dos professores com novos aumentos nas propinas pagas pelos alunos, o que levou a uma forte contestação dos pais e encarregados de educação, visto que as actuais mensalidades já são consideradas de forma generalizada excessivas. 

Actualmente, cada aluno a frequentar a EPL paga cerca de 112 mil kwanzas por mês. 

No entanto, os aumentos das mensalidades não estão fora da grelha de possibilidades, visto que a cooperativa que gere a EPL apenas se compromete em não o fazer até ao fim do presente ano lectivo, anunciando, no entanto, que decorrem negociações com o Governo português para analisar uma eventual solução que contorne os aumentos das mensalidades, consideradas pelos pais e encarregados de educação já excessivas. 

O Estado português mantém actualmente um subsídio anual de 776 mil euros. 

A posição foi assumida à Lusa por Paulo Arroteia, administrador para área financeira da CPEA, que gere a EPL, recebendo para o efeito um subsídio anual do Estado português, que em 2017 ascendeu a 776.000 euros, num orçamento global, para o funcionamento da escola, incluindo pagamento dos professores, a rondar os 13 milhões de euros. 

Actualmente o diferendo tem como pano de fundo a intransigência dos encarregados de educação na recusa em pagar mais pelas mensalidades e a exigência dos professores em manterem os seus salários indexados ao euro e pagos ao câmbio actualizado.

Fonte: NOVO JORNAL

Categoria:Nacional

Deixe seu Comentário