Tribunal condena 108 cidadãos por condução sob influência de álcool

Cento e oito cidadãos, que conduziam sob influência de álcool, durante o final de semana prolongado, foram, esta segunda-feira, condenados com pena suspensa pelo Tribunal Municipal de Luanda, no âmbito de uma operação realizada pela Polícia de Viação Trânsito, designada por Operação Páscoa.

 
Os automobilistas foram condenados ao abrigo do artigo 136 do Código de Estrada e lhes foi retirada a situação carcerária, mas segundo o acórdão ficou provado que os mesmos conduziam sob o efeito de álcool, com cifras que variam de 1,29  a 2,55, de acordo com os exames feitos nos locais da detenção dos mesmos.
 
Deste modo, os cidadãos em causa terão de pagar uma multa, de acordo com a taxa de álcool, que varia entre os 600 a 1200 UCF (Unidade de Correcção Fiscal), acrescidos de 10 por cento.
 
De acordo com a legislação, um UCF equivalente a 88 kwanzas.
 
Os réus terão ainda de pagar, cada um, uma taxa de justiça que vai desde os 50  a 65 mil kwanzas, bem como 5 mil kwanzas ao defensor oficioso.
 
 
Na ocasião, a juíza da causa, Jolin de Almeida, referiu que os mesmos, no acto da detenção, não ofereceram resistência, daí que se entendeu dar o atenuante às multas.
A magistrada explicou que o legislador, ao aplicar tal sanção, pensou nos danos que o estado de embriaguez pode acarretar, pois para ela, resultaria em várias consequências graves.
 
 
Em declarações à imprensa, o comandante da Polícia de Trânsito de Luanda, intendente Roque Silva, disse que estas medidas visam, sobretudo, moldar o comportamento dos automobilistas para que  não conduzam em estado de embriaguez.
 
 
Na ocasião, apelou à sociedade no sentido de contribuir para a prevenção seguindo sempre o slogan “se beber não conduz e se conduzir não bebas”.
 
 
A título de exemplo, referiu que nos 16 acidentes registados durante o final de semana prolongado, em Luanda, 23 por cento dos motoristas conduziam sob efeito de embriaguez.
 
 
O intendente Roque Silva considerou como sendo preocupante porque, apesar dos apelos da comunicação social e da polícia nacional, os níveis têm estado a aumentar.Explicou que, por tratar-se de um fim de semana prolongado, a  polícia nacional já antevia a situação, dai o facto de ter redobrado a operação.

FONTE: ANGOP
Categoria:Nacional

Deixe seu Comentário