Trump promete à Coreia do Norte “fogo e fúria” se continuar com ameaças

Está mais tensa a relação entre Estados Unidos e Coreia do Norte. O Presidente norte-americano, Donald Trump, avisou Pyongyang de que “é melhor não fazer mais ameaças aos Estados Unidos” ou “elas terão como resposta fogo e fúria como o mundo nunca viu”.

Trump emitiu a advertência durante uma sessão sobre dependência de opiáceos que decorreu no seu campo de golfe em Bedminster, Nova Jérsia, onde se encontra de férias. O aviso surge depois de o Ministério da Defesa japonês e a imprensa norte-americana terem divulgado que a Coreia do Norte foi bem-sucedida na produção de ogivas nucleares miniaturizadas que cabem dentro dos seus mísseis, o que constitui um marco nos esforços de Pyongyang para se tornar uma potência nuclear de pleno direito.

As preocupações de Washington com as tentativas do líder norte-coreano, Kim Jong-Un, para alcançar o poder nuclear intensificaram-se no último mês, com a realização pela Coreia do Norte de dois testes de mísseis balísticos intercontinentais, ou seja, com capacidade para atingir território norte-americano.

O regime norte-coreano assegurou na segunda-feira que o endurecimento das sanções das Nações Unidas não o impedirá de continuar a desenvolver o seu arsenal nuclear, ameaçando os Estados Unidos de que os “fará pagar mil vezes o preço do seu crime”.

Sob iniciativa de Washington, o Conselho de Segurança da ONU impôs à Coreia do Norte sanções que poderão custar-lhe mil milhões de dólares de receitas anuais, restringindo transações económicas fundamentais com a China, o seu principal aliado e parceiro económico.

O secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, excluiu um regresso rápido ao diálogo com Pyongyang, considerando que o novo pacote de sanções demonstra que a comunidade internacional perdeu a paciência com as ambições nucleares de Kim Jong-Un.

Coreia do Norte responde com nova ameaça

Entretanto, as autoridades norte-coreanas já responderam a Trump, com a sua própria ameaça. A Coreia do Norte garante que está a estudar “cuidadosamente” a possibilidade atacar com mísseis o território norte-americano de Guam, no Oceano Pacífico.

Segundo a agência noticiosa estatal da Coreia do Norte, o país está pronto para atacar “a qualquer momento” e o ataque depende apenas da ordem de Kim Jong-Un.

Fonte: MSN

Categoria:Internacional

Deixe seu Comentário