Amanirenas e a soberania feminina

Amanirenas (morta em 10 a.C)
Amanirenas (também chamada de Amanirena) foi uma das maiores Candaces, ou rainhas-mãe, que governou o Império do Kush de Meroe no nordeste da África (atual Sudão). Ela reinou entre os séculos 40 e 10 a.C. 
Quando o imperador romano Augusto tentou cobrar impostos dos kushitas em 24 a.C, Amanirenas e seu filho Akinidad lideraram um exército de 30 mil homens para saquear o forte romano na cidade egípcia de Assuão. Eles também destruíram as estátuas de Cesar em Elefantina.
Sob ordens de Augusto, o general Petronio retaliou, mas encontrou uma forte resistência de Amanirenas e suas tropas. Após mais de três anos de luta, as duas partes aceitaram negociar um tratado de paz. Os romanos concordaram em retornar seu exército para o Egito, retirar o seu forte, dar a terra de volta para o Kushitas e rescindir o imposto.
A rainha guerreira corajosa Amanirenas é lembrada por seu combate leal, lado-a-lado com seus próprios soldados. Ela ficou cega de um olho depois de ter sido ferida por um romano. No entanto, a total extensão da humilhação romana ainda precisa ser divulgada até a conta Kushita com a guerra, pois o roteiro escrito da extinta lingua de Meroe (ou Meroitic), não foi totalmente traduzido.

Categoria:Diversidade Cultural

Deixe seu Comentário